DE OLHO NA SEGURANÇA

 
 PROJETO ANDAR URBANO
 
 Manual do Volteador 

MENSAGEM 1 – 29 de maio de2022

Bom dia a todos.

Essa é a primeira mensagem do Projeto ANDAR URBANO que visa proteger vidas e patrimônio das pessoas que vivem e se deslocam pelas cidades. Quando entrei no Exército, na década de 70, havia a função de “volteador”, profissional preparado para percorrer lugares desconhecidos em busca de informações para segurança de todos os demais da sua equipe. Para cumprir sua missão se preparava com seguintes perguntas: PORQUE VOU? COM QUEM VOU? PARA ONDE VOU? POR ONDE VOU? COMO VOU? QUANDO VOU? QUANDO VOLTO? COMO VOLTO? Antes de andar pela cidade, podemos nos preparar, aproveitando experiência e ensinamentos do volteador:

  1. Decidir onde e quando queremos chegar.
  2. Conhecer ou pesquisar os caminhos a percorrer.
  3. Usar vestuário adequado ao nosso destino e ao ambiente.
  4. Usar calçados confortáveis e firmes para andar.
  5. Levar o mínimo de dinheiro necessário.
  6. Não mostrar dinheiro, joia, máquina e celular de alto custo.
  7. Separar o dinheiro pelos bolsos da roupa que vestirmos.
  8. Guardar a carteira no bolso da frente da calça.
  9. Se estivermos de casaco, guardar a carteira no bolso interno.
  10. Em bolsa ou mochila, guardar a carteira no meio das coisas.
  11. Se possível identificar o material que vamos transportar.
  12. Portar documento de identificação.
  13. Informar para alguém de confiança o que vamos fazer.
  14. Se não estivermos em condições, adiar a saída e pedir ajuda.
  15. Comunicar com pessoas de confiança.
  16. Definir um tempo para fazer contato.
  17. Antes de sair, fazer um “cheque de abandono” no local:
  • Portas e janelas abertas? Trancar!
  • Gás do fogão aceso? Apagar!
  • Luzes acesas? Apagar!
  • Aparelhos elétricos ligados? Desligar!
  • Torneiras abertas? Fechar!
  • Animais em casa? Deixar água e comida.
  • Alguém em casa? Avisar ao sair.

Bom período para nós. Deus abençoe e proteja a todos e as famílias. Vamos em frente! Contem sempre com a CECONSEG.                          

Amaury Soares Vieira Júnior – CONSEG ARAUCÁRIA

Imagem:  ANDAR URBANO

ANDAR URBANO

 

 
RISCO BALOEIRO 

A aviação tem exercido um papel fundamental para o desenvolvimento do Brasil. Para que as aeronaves possam exercer suas funções, é imprescindível manter um alto índice de segurança das operações aéreas. Na direção contrária, o Brasil vem se destacando negativamente pelo fato de balões livres não tripulados estarem ameaçando a segurança da navegação aérea, uma ameaça conhecida como "risco baloeiro". Estes objetos quando soltos não possuem dirigibilidade, agravando o risco de colisão com uma aeronave. 

No Brasil, é estimado que 100 mil balões são soltos a cada ano. Os estados do Rio de Janeiro e São Paulo lideram as estatísticas de avistamentos com balões não tripulados de ar quente, seguidos pelo estado do Paraná.

De acordo com dados do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), no ano de 2016, foram reportados 510 avistamentos de balões na rota de aeronaves, sendo o estado de São Paulo o campeão com 307, seguido do Rio de janeiro, com 117 casos, e Paraná, com 54 notificações. De acordo com a pesquisa, em 2016 o maior número de ocorrências, no total de 103, se deu no aeródromo de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo (FORÇA AÉREA BRASILEIRA, 2016, doc.eletronico)

É importante salientar que a prática de soltura de balões não tripulados difere da atividade balonista. A atividade balonista é assim caracterizada por Santos (2016): 

Os balonistas são praticantes de um esporte mundialmente reconhecido e regulamentado, que consiste no uso tripulado de uma aeronave sustentada por um balão de ar quente. No Brasil, o veículo deve ser matriculado junto à Agência Nacional da Aviação Civil (Anac), e o seu piloto deve portar licença, como no caso de aviões e helicóptero, que tem brevê (SANTOS, 2016, doc.eletrônico).

Como se trata de prática ilegal, com amparo previsto em lei, a soltura de balão é repreendida também pelas Secretarias de Segurança Pública Estaduais, pelas autoridades policiais e demais órgãos de defesa civil

A possibilidade de um acidente com balões não tripulados, sobretudo em áreas florestais, evidentemente, tornou-se objeto de criação da Lei N.º 9.605/98, Lei de Crimes Ambientais, voltada à proteção da fauna, da flora e das instalações administrativas, com foco especial à soltura de balões não tripulados. Nessa Lei, o art. 42 estabelece que “fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação é crime com pena de um a três anos de detenção e/ou multa”. Ainda, conforme o art. 59 do Dec. 6.514/08, a multa é de 1 mil a 10 mil reais por balão.

Tecnicamente, um balão não tripulado é definido, pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), como sendo uma “Aeronave não motorizada, não tripulada, mais leve que o ar, em voo livre” (ANAC, 2019, doc. eletrônico). 

A partir dessa definição, conclui-se que um balão voa sem qualquer controle de trajetória ou altura, invadindo espaços aéreos por onde trafegam aeronaves de grande porte, pesadas e rápidas, com centenas de passageiros em seus interiores, além da enorme possibilidade de cair em áreas florestais ou em edificações, causando incêndios e outros desastres de grandes proporções.

No Brasil, há uma tradição cultural, sobretudo no período junino e na região sudeste do País, que se manifesta pela prática de soltar balões não tripulados. As iniciativas para se coibir a soltura de balões não tripulados iniciaram-se, há alguns anos, por parte de órgãos de proteção do meio ambiente, de instituições legisladoras e de órgão fiscalizadores. Tais iniciativas tiveram início na necessidade de proteção ao meio ambiente, uma vez que a queda dos balões causava incêndios florestais, além de outros acidentes perigosos em edificações.

Nesse sentido, foram desenvolvidas campanhas educativas junto às comunidades próximas aos aeroportos; foram estabelecidas novas e rigorosas atitudes dos órgãos fiscalizadores contra a prática baloeira; foram realizadas divulgações sistemáticas aos aeronavegantes para a prevenção de colisão contra balões; e, ainda, foram feitas divulgações mais frequentes, nos meios de comunicação, sobre o problema que a prática de soltar balões representa para os aviões e para os aeroportos.

Portanto, lembre-se: 

1. A soltura de balões não tripulados é crime.

2. Em caso de avistamento de balões em áreas próximas de aeroportos ligue 190.

Diante do perigo para a segurança da aviação e do tráfego aéreo brasileiro, o CENIPA realiza atividades de conscientização sobre o risco baloeiro e de prevenção sobre soltura de balões. Com o objetivo de identificar as potenciais ameaças proporcionadas pela soltura de balões, o CENIPA disponibiliza um formulário on-line específico para o reporte dessas ocorrências. Colabore você também!

Imagem: RISCO BALOEIRO

RISCO BALOEIRO
 
SEGURANÇA NO TRÂNSITO

DE OLHO NA SEGURANÇA

Como prevenir acidentes de trânsito


Os acidentes de trânsito estão entre as principais causas de morte em todas as faixas etárias do mundo, provocando a perda de mais de 1,2 milhões de vidas e causando lesões não fatais em aproximadamente 50 milhões de pessoas no mundo inteiro. Além de todo sofrimento causado, os acidentes de trânsito também se constituem em um sério problema de saúde pública e de desenvolvimento, com significativo impacto socioeconômico. 

Em linha com a Semana Nacional do Trânsito - 18 a 25 de setembro – e na perspectiva de que os acidentes de trânsito podem ser previsíveis e preveníveis, no “De Olho na Segurança” de hoje, a Coordenação Estadual dos CONSEGs gostaria de focar em medidas preventivas de segurança no trânsito, que podem ser adotadas por todos nós para reduzir risco de lesão e morte.  

USO DO CELULAR: O uso de smartphone é algo tão instintivo em nosso dia a dia que praticamente se tornou uma extensão do nosso corpo. Mas o uso desses aparelhos combinados com o trânsito é tragédia anunciada. As evidências demonstram que a distração decorrente de falar ao celular pode prejudicar a condução de diversas maneiras, seja aumentando o tempo de reação, a capacidade para se manter na faixa e para manter a distância do veículo à frente. E isso pode ser um problema ainda pior quando relacionado ao envio de mensagens de texto. A regra vale também para os pedestres, que distraídos pelo uso do aparelho celular são fortes candidatos a se tornarem vítimas de acidentes e delitos. 

REVISÕES: De fato, realizar as revisões periódicas no veículo é a melhor forma de prevenir acidentes e inconvenientes na estrada. Os diferentes tipos de revisões permitirão a você mais conforto e segurança nas viagens. Dentre os principais itens que devem passar por um check up, destacamos: condições dos pneus e calibragem, alinhamento da suspensão e balanceamento das rodas, sistema elétrico, para-brisas e sistema de limpeza dos vidros, equipamentos de segurança, freios, fluídos e correia dentada. Depois disso é só ter cuidado e curtir o passeio. 

DIREÇÃO DEFENSIVA: Desde as primeiras aulas de autoescola aprendemos sobre a importância da direção defensiva, uma condução mais consciente e mais segura. Esse tipo de condução objetiva com que o condutor dirija com maior atenção, a fim de prever o que fazer com antecedência e tomar as decisões certas para evitar acidentes. Dessa forma, as chances de um acidente são reduzidas e a capacidade de reação aumentada, frente às condições adversas da estrada e o mal tempo.

imagem: Como prevenir acidentes de trânsito

PREVENÇÃO AOS ACIDENTES DE TRÂNSITO
 
SEGURANÇA RESIDENCIAL
 
 Pichação

DE OLHO NA SEGURANÇA

Pichação: arte ou vandalismo?

A “Teoria das Janelas Quebradas”, defendida em 1982 por dois criminologistas da Universidade de Harvard (Estados Unidos), basicamente postula que o vandalismo provoca o crescimento da desordem e, consequentemente, da criminalidade. Em 2008, Pesquisadores da Universidade de Groningen (Holanda) realizaram seis experimentos de campo com objetivo de observar o comportamento de indivíduos em cenários com ausência e presença de vandalismo. Concluíram que pichações nas paredes, lixo no chão e outros tipos de desordem urbana são cenários ideais para atos de vandalismo. O estudo apontou que as pessoas se sentem mais à vontade para transgredir as normas quando vêem que outros indivíduos já fizeram isso antes. 

Assim, o desejo de manter as nossas casas, comércios e todo espaço ao nosso redor bem cuidados, livres da ação de pichadores e outros vândalos de plantão, não afeta apenas a sensação de segurança e bem-estar coletivo, mas fortalece a mensagem de que naquela área existem regras a serem observadas e as pessoas realmente se importam, o que ajuda a prevenir o crescimento dos comportamentos antissociais. 

E como nosso papel aqui no “De Olho na Segurança” é também esclarecer sobre as diferenças dos termos comumente utilizados nas questões relacionadas à segurança pública, vamos fazer uma importante diferenciação entre grafite e pichação à luz da Lei n.º 12.408/2011.

Pichação não é manifestação artística ou mera transgressão das regras de boa convivência social. É crime contra o ordenamento urbano e o patrimônio cultural, pois quem pichar ou por outro meio conspurcar edificação ou monumento urbano poderá ser penalizado com detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa. Se o ato for realizado em monumento ou coisa tombada em virtude do seu valor artístico, arqueológico ou histórico, a pena será de 6 (seis) meses a 1 (um) ano de detenção e multa.
  
O grafite, por sua vez, é um bem cultural vocacionado à fruição coletiva, e sua proteção encontra respaldo no próprio direito à participação livre da vida cultural da comunidade e da fruição das artes, previsto na Declaração Universal dos Direitos Humanos. 

Diferentemente da pichação, a prática do grafite não constitui crime quando realizado com o objetivo de valorizar o patrimônio público ou privado, mediante manifestação artística, desde que consentida pelo proprietário e, quando couber, pelo locatário ou arrendatário do bem privado; em caso de bem público, com a autorização do órgão competente e a observância das posturas municipais e das normas editadas pelos órgãos governamentais responsáveis pela preservação e conservação do patrimônio histórico e artístico nacional. 

Pois bem, como podemos agir preventivamente em relação ao delito de pichação? Lembre-se que a forma mais eficaz de evitar esse tipo de vandalismo é optar por alternativas que desestimulem o pichador a praticar tal ato. 

  • Os grafites costumam ser ótimas medidas de prevenção, pois na cultura de rua é comum pichadores terem respeito pelos trabalhos artísticos dos grafiteiros, não pichando sobre os trabalhos expostos. No caso do comércio, eles também podem realizar trabalhos temáticos que chamem a atenção de novos clientes por conta da fachada única.
  • Outra opção seria procurar materiais que inviabilizam a pichação. Há produtos que envernizam fachadas e paredes de forma que não impedem as pichações, mas fazem com que elas possam ser facilmente removidas com solvente, sem estragar a pintura anterior.
  • Além disso, existe a possibilidade de utilizar cercas vivas que encobertam os muros, como as trepadeiras. Além de evitar as pichações, dificultam que invasores pulem o muro, já que algumas dessas plantas possuem espinhos. 
  •  Não esqueçam também das câmeras de segurança, que além de ser uma ótima alternativa para inibir a ação marginal, pode ajudar na identificação e responsabilização dos transgressores da lei. Afinal, pichação é crime!

Caso queira saber um pouco mais sobre o tema, acesse os links abaixo:

http://www.conseg.pr.gov.br/sites/conseg/arquivos_restritos/files/migrados/File/CARTILHA_SEGURANCA_RESIDENCIAL.pdf - SITE - Coordenação Estadual dos Conselhos Comunitário de Segurança.
http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/leia/reportagens-artigos/artigos/2972-grafite-x-picha%C3%A7%C3%A3o-qual-a-diferen%C3%A7a - SITE

https://www.graberalarmes.com.br/como-evitar-pichacao-nos-muros-da-sua-casa/#:~:text=Melhore%20a%20ilumina%C3%A7%C3%A3o%20pr%C3%B3xima%20aos,ilumina%C3%A7%C3%A3o%20nas%20proximidades%20aos%20muros. - BLOG

https://www.newscientist.com/article/dn16096-graffiti-and-litter-lead-to-more-street-crime/ - SITE

https://science.sciencemag.org/content/322/5908/1681.full - SITE

Imagem:  pichacao.pdf

PREVENÇÃO CONTRA PICHAÇÕES
 
 Área externa

DE OLHO NA SEGURANÇA

Segurança residencial: área externa

Em nossa última publicação, destacamos que a casa é o asilo inviolável do individuo. É o local onde nossos bens mais preciosos – família e patrimônio - devem estar livres de qualquer perigo. Aquela máxima de que a segurança residencial é tão forte quanto o ponto mais fraco dela, continua valendo. Nesta postagem, nossas atenções estarão voltadas para a segurança externa da área residencial. Portanto, iniciamos com a primeira dica: sempre que detectar qual é este ponto fraco, o fortaleça. 

Quanto maior a vigilância natural de sua casa, menor é a chance de uma ação marginal. Lembre-se que plantas e arbustos espinhosos podem ser plantados pelo lado de dentro junto aos muros, grades, cercas ou janelas, constituindo-se uma “dolorosa” barreira contra intrusos.

Outro detalhe importante é que árvores e arbustos volumosos não devem estar posicionados junto a janelas e/ou portas de modo que reduzam a visibilidade, projetem sombras ou sirvam como esconderijo para um criminoso.

A iluminação de sua casa é outro ponto que merece especial atenção, tanto para declarar a presença de intrusos quanto para aumentar a sensação de segurança dos seus moradores. Todos os locais onde você costumeiramente para ou passa, quando chega em casa devem estar iluminados, inclusive as áreas que ligam sua residência e a via pública. 

Uma pesquisa realizada apontou que 60% dos delitos ocorreram por escalada, ou seja, pulando muros, grades ou escalando janelas. Isso indica que uma boa forma de contenção (muros e grades) é fundamental para uma melhor segurança. Sempre que possível dê preferência a grades ao invés de muros, porque estas permitem melhor vigilância natural.

Caso queira saber um pouco mais sobre essas medidas de proteção residencial e outras dicas importantes, acesse a cartilha sobre Segurança Residencial em nosso site, através do link: 

http://www.conseg.pr.gov.br/sites/conseg/arquivos_restritos/files/migrados/File/CARTILHA_SEGURANCA_RESIDENCIAL.pdf

Imagem:  _seguranca_residencial_-_area_externa.pdf

E lembre-se: cuidar do nosso lar é cuidar da gente!

SEGURANÇA RESIDENCIAL EM ÁREAS EXTERNAS
 
 Área interna

DE OLHO NA SEGURANÇA

Segurança residencial: área interna

Assim como na publicação anterior, ressaltamos que a nossa casa é o asilo inviolável do individuo, pois é local onde nossos bens mais preciosos devem estar protegidos: família e patrimônio. Assim como mencionado anteriormente, nunca é demais utilizarmos das diferentes estratégias de segurança residencial.

Na postagem anterior a está, priorizamos a área interna, porém gostaríamos de focar nesta publicação na segurança da área externa das nossas casas. E a primeira dica se baseia na afirmativa de que a segurança de sua residência é tão forte quanto o ponto mais fraco dela. Então sempre detecte qual é o seu ponto fraco e o fortaleça.

Quanto maior a vigilância natural de sua casa, menor a possibilidade de ocorrer delitos. Lembre-se que, plantas e arbustos espinhosos podem ser plantados pelo lado de dentro junto aos muros, grades, cercas ou janelas constituindo-se uma “dolorosa” barreira contra intrusos.

Outro detalhe importante é que árvores e arbustos volumosos não devem estar posicionados junto a janelas e/ou portas de modo que reduzam a visibilidade, projetem sombras ou sirvam como esconderijo para um criminoso.

É importante destacar sobre a iluminação de sua residência, todos os locais onde você para ou passa quando chega em casa devem estar iluminados, inclusive as áreas que ligam sua residência e a via pública.

Na pesquisa realizada, 60% dos delitos ocorreram por escalada, ou seja, pulando muros, grades ou escalando janelas. Isso indica que uma boa forma de contenção (muros e grades) é fundamental para uma melhor segurança. Sempre que possível dê preferência a grades ao invés de muros, porque estas permitem melhor vigilância natural.

Caso queira saber um pouco mais sobre medidas de proteção residencial, acesse o link:

http://www.conseg.pr.gov.br/sites/conseg/arquivos_restritos/files/migrados/File/CARTILHA_SEGURANCA_RESIDENCIAL.pdf

Imagem:  seguranca_residencial-area_interna.pdf

Cuidar do nosso lar, é cuidar da gente!

SEGURANÇA RESEDENCIAL NA ÁREA INTERNA
 
 Segurança residencial

DE OLHO NA SEGURANÇA

Segurança residencial

Cada tipo de residência apresenta especificidades quando pensamos em segurança. As medidas de proteção necessárias quando se mora em um apartamento são diferentes daquelas que os moradores de casas precisam adotar. Em casas de campo e localizadas no litoral acontece o mesmo. Toda ação é importante para deixar sua casa protegida e proporcionar mais segurança no seu cotidiano.

Quando estamos no conforto do nosso lar é comum esquecermos os riscos que existem fora desse ambiente. Com isso, abre-se margem para criminosos agirem e se aproveitarem da falta de proteção existentes em algumas residências. Apesar disso, a preocupação em relação à segurança residencial já tem crescido entre os brasileiros. Segundo a Pesquisa Nacional sobre Segurança Eletrônica, realizada pela SMG, cerca de 69% dos prestadores de serviços da área atenderam projetos para residências. Entre os serviços mais solicitados estão a instalação de videomonitoramento e sistemas de alarme.

Uma das principais formas de proteger seu patrimônio é investir em um sistema de segurança. Um exemplo disso são as centrais de alarmes monitoradas. Elas são estruturas que funcionam 24h por dia, recebendo sinais quando qualquer movimentação suspeita for identificada em uma residência cadastrada.

Os alarmes são compostos por sensores estrategicamente distribuídos pela casa e podem ser de vários tipos, a exemplo dos magnéticos, os quais proporcionam a instalação em portas e janelas. Uma vez esses lugares sejam violados, o alarme dispara imediatamente e aciona a central. Existem também os alarmes com sensores de presença, que rastreiam regiões específicas da casa por meio de um sistema de infravermelho. Essa tecnologia permite detectar movimentos humanos sem interferências. Com esse aparelho, seu lar fica mais inteligente para se proteger contra furtos e arrombamentos.

A nossa casa é um local onde o convívio familiar e também a proteção de nossos pertences devem ser garantidos. Nesse sentido, estratégias de segurança residencial nunca são excessivas, e não devemos medir esforços para aplicá-las.

Além da instalação de videomonitoramento e sistemas de alarme, a prevenção pode e deve ser adotada pelos moradores, visando evitar a facilitação da oportunidade aos criminosos. Nas próximas semanas falaremos sobre outras  dicas de segurança residencial. Enquanto isto, caso queira saber um pouco mais sobre como proteger sua residência, acesse o link abaixo:

http://www.conseg.pr.gov.br/sites/conseg/arquivos_restritos/files/migrados/File/CARTILHA_SEGURANCA_RESIDENCIAL.pdf

Imagem:  seguranca_reseidencial.pdf

RESIDÊNCIA: AJUDE A PROTEGER

DICAS DE SEGURANÇA RESEIDENCIAL
 
 SAÚDE, PREVENÇÃO E CUIDADOS 
 
 Sarampo

DICAS DE SEGURANÇA:

Sarampo: sintomas e e prevenção

Em um período marcado pela pandemia de COVID-19, pouco se fala de outra doença infecciosa que segue em alta no Brasil e no mundo: o Sarampo.
Em seu mais recente boletim epidemiológico, o Ministério da Saúde calcula que só em 2020 foram registrados 8.217 casos e 7 mortes pela doença no país. Os dados compreendem o período de 29 de dezembro de 2019 a 17 de outubro de 2020.

O Sarampo é uma doença contagiosa que apresenta sintomas como febre alta (às vezes até acima de 40º C) e manchas vermelhas no corpo, causada pelo vírus Morbillivirus e que pode levar à morte. O Sarampo é propagado por meio das secreções mucosas (como a saliva, por exemplo) de indivíduos doentes para outros não imunizados. 

O Sarampo em bebês começa repentinamente com uma temperatura alta em torno de 39°C, que geralmente persiste por três dias. Após esse período podem aparecer erupções de coloração rosada nos braços e nas pernas do bebê. Os bebês costumam ser o principal alvo do Sarampo, sendo comum o aparecimento de irritações na criança. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a doença costuma se manifestar entre 6 meses e 2 anos de idade. 

Vacinar é o meio mais eficaz de prevenção contra o Sarampo. As duas doses da vacina são recomendadas para garantir a imunidade e evitar surtos, já que aproximadamente 15% das crianças vacinadas apenas com a primeira dose não desenvolvem imunidade.

Para crianças que ainda não foram vacinadas, uma prevenção é evitar o contato com pessoas que apresentam os sintomas da doença. Além disso, adultos e adolescentes de até 29 anos que não foram vacinados ou não tiveram Sarampo anteriormente podem se vacinar nos postos de saúde.

Se quiser saber um pouco mais sobre os sintomas e a prevenção contra o Sarampo, acesse os links abaixo:

https://www.saude.pr.gov.br/Pagina/Sarampo

Imagem:  sarampo.pdf

SARAMPO: NÃO DEIXE VOLTAR!

DICAS DE PREVENÇÃO AO SARAMPO
 
 Dengue

COMBATE Á DENGUE

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50 a 100 milhões de pessoas se infectem anualmente com a dengue em mais de 100 países de todos os continentes, exceto a Europa. No Paraná os casos têm aumentando significativamente, principalmente pela não observância a cuidados básicos de prevenção. Segundo o Portal G1, e de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, desde agosto de 2020 até meados de janeiro de 2021 o Paraná registrou seis óbitos e 1.724 diagnósticos da doença.

Com o início do verão e a ocorrência de dias quentes, aliado às chuvas características desta estação, sabemos que proliferação do mosquito Aedes Aegypti é potencializada. Porém, se o ambiente estiver livre de recipientes que possam acumular água parada, em conjunto a outros cuidados, o surto da doença pode ser controlado. 

Embora pareça pouco agressiva, a doença pode evoluir para a dengue hemorrágica e a síndrome do choque da dengue, caracterizadas por sangramento e queda de pressão arterial, o que eleva o risco de morte.

Por conta disso, um dos principais meios para combater a dengue é evitar o acúmulo de água, uma vez que o mosquito deposita seus ovos em recipientes ou locais cheios do líquido. Ainda, as autoridades sanitárias recomendam:
•    Não deixe acumular água em pratos de vasos de plantas e xaxins. Coloque areia fina até a borda do pratinho;
•    Não junte vasilhas e utensílios que possam acumular água (tampinha de garrafa, casca de ovo, latinha, saquinho plástico de cigarro, embalagem plástica e de vidro, copo descartável etc.), e guarde garrafas vazias de cabeça para baixo;
•    Entregue pneus velhos ao serviço de limpeza urbana, e caso precise mantê-los, guarde em local coberto;
•    Retire sempre a água acumulada da bandeja externa da geladeira e lave com água e sabão;
•    Limpe frequentemente as calhas e a laje das casas, e ainda, coloque areia nos cacos de vidro no muro que possam acumular água;
•    Mantenha a água da piscina sempre tratada com cloro e limpe-a uma vez por semana. Se não for usá-la, evite cobrir com lonas ou plásticos;
•    Mantenha o quintal limpo, recolhendo o lixo e detritos em volta das casas, limpando os latões e mantendo as lixeiras tampadas. Não jogue lixo em terrenos baldios, construções e praças. Chame a limpeza urbana quando necessário;
•    Permita sempre o acesso do agente de controle de zoonoses em sua residência ou estabelecimento comercial.

Fique atento às manifestações dos sintomas que caracterizam a dengue, como dor de cabeça forte, dor atrás dos olhos, febre alta, fraqueza e cansaço, náuseas, vômitos, tontura e perda do paladar, entre outros. Em caso de suspeitas procure um atendimento médico com urgência. 

Se quiser saber um pouco mais sobre os sintomas e a prevenção contra o mosquito da dengue, acesse os links abaixo:

http://www.dengue.pr.gov.br/

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/dengue

Imagem:  dengue.pdf

A DENGUE ESTÁ AVANÇANDO. É HORA DE FAZER SUA PARTE: COMPARTILHE!

Fonte:  https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2021/01/12/em-20-dias-parana-registra-mais-uma-morte-e-227-casos-de-dengue-aponta-boletim.ghtml

DICAS DE PREVENÇÃO À DENGUE
 
 Manobra Heimlich

CAMPANHA DE PREVENÇÃO A CRIMES E ACIDENTES - CECONSEG

A MANOBRA DE HEIMLICH pode ser usada para dois tipos de engasgos: completo ou parcial, podendo ser notados através dos sintomas apresentado pelo bebê ou a criança. De acordo com os sinais expostos, será possível diferenciar os dois tipos de obstrução. 

Na obstrução parcial, é comum o bebê ou a criança demonstrar sinais de respiração acelerada e ofegante, são sinais incomuns: agitação, tosse muito frequente e choro incessante. Para a desobstrução, estimule a criança a tossir, faça com que ela levante os braços para o alto (esse movimento libera a glote), puxe levemente suas orelhas para cima (também liberará a glote). Se por acaso o engasgo persistir e os sintomas se agravarem, faça a Manobra de Heimlich. Se mesmo após está ação o bebê ou a criança continuarem incomodados, procure o serviço de emergência. 

A obstrução total das vias aéreas pode ocorrer tanto com o bebê consciente como inconsciente. Essas situações são caracterizadas pela incapacidade de chorar ou tossir, apresentando sinais como lábios e face roxeados. Em casos como esse, você pode ligar para o serviço de emergência e indicar o quadro presente, contudo, recomenda-se que se tente os primeiros socorros para desengasgar o bebê, utilizando a Manobra de Heimlich. De acordo com Corpo de Bombeiros é preciso iniciar as manobras o quanto antes. 

Em casos de obstrução total, ligue para o Corpo de Bombeiros ou para o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), através dos telefones 193 ou 192, respectivamente.

Imagem:  manobra_de_heimlich.pdf

Fonte: https://saojoaquimonline.com.br/destaque/2019/11/20/manobra-de-heimlich-como-desengasgar-uma-crianca-e-salvar-sua-vida/

https://www.danonenutricia.com.br/infantil/primeiros-meses/saude/engasgo-em-bebes-saiba-quando-fazer-manobra-de-heimlich#:~:text=A%20Manobra%20de%20Heimlich%20%C3%A9,de%20ar%20do%20corpo%20humano

MANOBRA DE HEIMLICH
 
 GOLPES NA INTERNET 
 
 Fraudes no meio físico

DE OLHO NA SEGURANÇA:

Fraudes no meio físico.

Assim como no ambiente virtual, no meio físico também estamos sujeitos a sermos vítimas de fraudes e golpes, os quais ficam cada vez mais frequentes.

No meio físico, os principais golpes que são aplicados para tentar roubar os dados dos indivíduos são: a emissão de cartão de credito, abertura de contas, abertura de empresas, entre outros.

Esses golpes têm como objetivo roubar os dados dos clientes, e por meio destes realizar compras em seu nome. Como, por exemplo, a abertura de contas, em que o golpista abre uma conta em um banco usando uma identificação falsa ou roubada.

Neste caso, toda a “cadeia” de produtos oferecidos (cartões, cheques, empréstimos pré-aprovados) potencializa possível prejuízo às vítimas, aos bancos e ao comércio.

Para evitar os golpes no meio físico é necessário adotar algumas destas medidas, como:

- Se for para algum lugar que não solicita documento original, procure ir com uma cópia simples ou autenticada.
 
- Tome cuidado ao digitar a senha do cartão de débito/crédito na hora de realizar pagamentos, principalmente na presença de desconhecidos.
 
- Não perca de vista seus documentos de identificação quando solicitados. Do mesmo modo, não deixe que atendentes de lojas e outros estabelecimentos levem seus cartões bancários para longe de sua presença sob a desculpa de efetuar o pagamento.
 
Se quiser saber um pouco mais sobre golpes aplicados no meio físico acesse os links abaixo:

https://www.consumidormoderno.com.br/2018/03/12/quais-sao-as-fraudes-mais-comuns-que-afetam-o-consumidor/

Imagem:  dicas_de_protecao.pdf

DICAS DE FRADES NO MEIO FÍSICO
 
 Golpes no WhatsApp

DE OLHO NA SEGURANÇA:

Golpes no Whatsapp

Milhares de pessoas ao redor do mundo tem sido vítimas de golpes pelo WhatsApp, que é palco de Spam de todos os tipos, como: memes, correntes, promessas de brindes e falsas promoções, descontos ou cupons e, mais recentemente, boatos e notícias falsas. As Fake News e Hoaxes vão te incomodar, distorcendo a realidade. Mas, outras modalidades de Spam podem roubar seus dados ou induzir a cadastrar seu número de telefone em serviços de SMS pagos.

Um dos golpes mais populares, a Clonagem do WhatsApp faz com que os criminosos assumam a conta de um indivíduo para que apliquem golpes nos contatos da vítima. Na maioria das vezes nem ela própria percebe que teve seu aplicativo clonado.

Em muitos casos, os indivíduos enviam mensagens para os familiares ou amigos próximos, solicitando uma transferência de valores para ajudar na resolução de algum problema, normalmente relacionado a uma urgência, como questões médicas, acidentes, cartões bloqueados, etc., sempre com a promessa de devolver a quantia emprestada na primeira oportunidade.

Para evitar cair nesse tipo de golpe é necessário ativar a verificação em duas etapas do WhatsApp. Isso evita que o número seja registrado em outro aparelho. Outra precaução é nunca informar nenhum código que chegue por SMS. Geralmente, esses números são pessoais e intransferíveis.

Os golpes no WhatsApp, na maioria das vezes, espalham informações mentirosas para provocar algum tipo de comportamento que só será benéfico para o autor. Se uma mensagem parecer suspeita ou se o conteúdo for “bom demais para ser verdade”, faça uma pausa. Nunca toque, compartilhe ou encaminhe sem antes fazer uma análise da situação.

Se quiser saber um pouco mais sobre golpes aplicados no WhatsApp, acesse os links abaixo:

Imagem:  whatsapp.pdf

http://www.bbc.com/portuguese/geral-50294962

https://www.policiacivil.pr.gov.br/NUCIBER#golpes

DICAS DE GOLPES NO WHATSAPP
 
 Golpes com Cartão

DICAS DE PREVENÇÃO:

Golpes com o cartão de Crédito

O cartão de crédito facilita a vida de muita gente, especialmente dos brasileiros que o tem como meio preferido de pagamento. Porém, pode representar uma dor de cabeça quando o assunto é segurança, não sendo incomuns as fraudes e golpes.

Segundo a Febraban, em tempos de pandemia e, consequentemente, com o aumento do comércio eletrônico, duas modalidades de ataque tem sido exploradas pelos golpistas:

 - Phishing (aumento de 80%): e-mails ou mensagens que carregam vírus ou links que direcionam o usuário a sites falsos, normalmente enviado por remetentes desconhecidos ou falsos.
 
- Golpe do falso motoboy (aumento de 65%): contato estabelecido com o usuário para confirmar alguma transação online suspeita, onde se solicita a senha do cliente e depois oferece o serviço de retirada do cartão, através de um motoboy.

Como podemos observar, seja por meio presencial ou virtual, os golpes crescem na mesma proporção. E muitos dos casos envolvendo cartão de crédito são resultados de descuidos ou incidentes por parte do próprio usuário. 

Desconfie de mensagens requisitando acesso a links e solicitações de senhas por e-mail ou SMS. As instituições financeiras não enviam e-mail e nem ligam para os clientes solicitando a senha do cartão de crédito, nem mesmo o seu código de segurança. Essas são informações pessoais e intransferíveis. Mesmo o uso do cartão em lojas físicas e caixas eletrônicos são passíveis de problemas. Portanto, atente-se: 

- Proteja suas contas com senhas fortes. Evite usar nomes de pessoas próximas, datas de aniversário e combinações fáceis de adivinhar como ABCD ou 1234. Inclua sempre caracteres especiais como #@;

- Não use a mesma senha em diferentes serviços;

- Adote um aplicativo de gestão de senhas ou guarde-as em local seguro;

- Habilite mecanismos de dupla autenticação, especialmente nos aplicativos de mensagens e redes sociais. 

Imagem:  golpes_com_cartao.pdf

Fonte: https://portal.febraban.org.br/noticia/3522/pt-br/

DICAS DE GOLPES COM CARTÃO DE CRÉDITO
 
 Golpes na internet

DICAS DE PREVENÇÃO:

Golpes na internet

A tecnologia está presente em nossas vidas 24/7, ou seja, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Trouxe consigo inúmeros benefícios para os diferentes setores da sociedade, tornando-se uma ferramenta quase indispensável para o dia-a-dia da maioria da população, facilitando pagamentos, compras onlines, chamadas de vídeos, reuniões via internet, aulas e cursos virtuais, e fornecendo informações para o mundo todo, especialmente neste momento de pandemia.

Mas assim como no mundo real, o acesso ao mundo virtual, por intermédio dos meios tecnológicos, também apresenta sérios riscos. Os golpistas estão concentrando seus esforços nas fragilidades dos usuários e, para isso, utilizam técnicas para enganar e persuadir as vítimas em potenciais a fornecerem informações sensíveis ou a realizarem determinados tipos de ações, como clicar em links de promoções, anúncios e ofertas que acabam por executar códigos maliciosos ou direcionando para páginas falsas. 

De posse de SUAS informações, os estelionatários costumam acessar sites, abrir empresas fantasmas, criar contas bancárias ilegítimas, entre outras ações fraudulentas. Por isso, mesmo em segurança em nossas casas, ao navegar pela internet mantenha sempre seu estado de alerta para não cair em golpes virtuais. Procure sempre acessar sites reconhecidos e que estabeleçam uma conexão segura.

Se quiser saber um pouco mais sobre golpes aplicados na internet e os cuidados que podemos tomar para se proteger deles, acesse o link abaixo:

Imagem:  _golpes_na_internet.pdf

Fonte:  https://cartilha.cert.br/golpes/

DICAS DE GOLPES NA INTERNET